quarta-feira, 16 de abril de 2014


No pingo da chuva
eu pulei,
pulei.
Molhei os pés
no pulo
que a chuva deu!
Em matéria de pulo,
ela é melhor
do que eu!

domingo, 13 de abril de 2014

Para dormir

A bela noite no firmamento chegou
com as estrelinhas brilhantes do céu.
Pai Xangô me proteja com seu machado,
Mamãe Iansã me cobre com seu véu.

Que Oxalá guie meu sono em Orum
Para ver Nanã, minha boa avozinha.
Que ela me dê muitos conselhos
Para eu aprender a ser boa menina.

Com as benção de todos os Orixás
Eu fecho meus olhos pra deitar
Que eu encontre paz nessa terra,
em qualquer lugar que eu passar.

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Eu não sou tão feliz assim


Eu não sou tão feliz assim.
Esses sorrisos todos
que eu vejo por aí,
essa felicidade extrema
nas sextas feiras.
Essa alegria longetudinal
com os amigos,
essas fotos infinitas
com sorrisos
e boas roupas.
Eu não sou tão feliz assim.
Eu tenho um quê de tristeza
sorrindo comigo,
um tostão de saudade,
uma melancolia interna
inata, sabe?
Uma lágrima perdida por aí,
um olhar perdido no céu...
uma ponta de lápis na mão
com um poeminha,
às vezes,
bem idiota no papel.
Eu não sou tão feliz assim.
Parece mentira esse sorriso tão branco,
esse amigo que concorda sempre,
esse namorado super perfeito.
Não sei...
Se o mundo é para os tão felizes,
eu devo me mudar.
Não sou triste.
Sou só meio feliz.
E tem dias que meio não feliz.
Tanta felicidade me assusta!

sábado, 5 de abril de 2014

Só uma coisa importa


Eu gosto de você
de lado
de frente
costas
normal
estranho
branco
gordo
magro
preto
azul
verde
com pintinhas
do lado de fora
do avesso
no côncavo
no convexo
de olho aberto
de olho fechado
no som
ou no silêncio.
Nesse poema só importa
uma única frase:
de lado
de frente
costas
normal
estranho
branco
gordo
magro
preto
azul
verde
com pintinhas
do lado de fora
do avesso
no côncavo
no convexo
de olho aberto
de olho fechado
no som
ou no silêncio.

Eu gosto de você

sábado, 29 de março de 2014

Vou me mudar



Eu vou me embora para Marte!
Lá sou amiga do E. T.
Os marcianos são mais bonitos,
Os seres são sempre amigos
Só passa coisa boa na TV.

Lá é muito mais fresco que aqui
As crianças não fazem pirraça
Nas filas não há nenhuma trapaça
Toda mundo se respeita, é assim.

---(Lá o céu é verdão
A grama é toda roxa
E a vaca dá todynho gelado.
Os legumes já vêm cozidos do pé,
Os livros são bem baratinhos
Os poetas são pop star !
--parte que não consegui rimar,mas eu gostei mesmo assim) ---

Sei que você está pensando:
Que garota muito maluca!
Que besteira! Ela está é caduca!
Que nada! Estou só sonhando!

Eu vou me embora para Marte!
Lá sou amiga do E. T.
Os marcianos são mais bonitos,
Só passa coisa boa na TV

Manuel foi pra Pasárgada.
Divulgou lugar novo: se ferrou !
Agora todo mundo quer ir,
E Pasárgada já lotou!

Eu vou me embora para Marte!


Futebol de Versos



Entrei de penetra nessa festa, irmão!
Os sonetos pareciam futebol
no esquema tático 4 4 3 3;
numa confusão de ABAB
ABBA que me deixou maluca!

Tinha de tudo um pouco!
Pedra, passarinho, morte e desilusão ...
Poeta sofre, fazer o quê?
Vai da rocha ao coração!




Dá-me tua mão
e vem
que eu esperei a vida toda
para guiar-te pelo meu coração
rumo às maravilhas
dos meus infinitos
particulares.

Relógio


Escravo do relógio,
eu conto as horas
de comer, dormir, namorar,
relaxar, ler, trabalhar ...
Essa marca no pulso
é a escravidão da modernidade.
Conta as horas,
corta o tempo
e nunca anda pra trás .
Ingrato, traiçoeiro!
Quanto está bom
vai com muita pressa.
Quando está ruim,
anda como uma lesma.
Quando o tempo irá destemporizar?
Queria ser livre!
Sem tempo de ir e de voltar,
sem tempo para dormir e acordar. 
Esse relógio!
Fatiador do tempo!

Queria viver como os passarinhos...
Livres!
Voam quando querem,
por que querem,
se quiserem,
sem tempo marcado de ida ou chegada.
Queria ser livre!
Pássaros! Voem e não tenham pressa !
Felizes são vocês
que não têm o tempo fatiado.
Bem aventurados os pássaros
porque têm liberdade de voar
e não têm hora marcada!

Súplica




Deus! Ouve a minha prece!
Deixa eu ser um passarinho
para cantar em seu ouvido
As juras de meu amor.
Assim, em forma de passarinho,
Vou catando versos pelo caminho
Compondo estrofes de mansinho
Para ele com as benção do Senhor.

quarta-feira, 12 de março de 2014

Morfeu!

Morfeu!
Abre teus braços macios
e convida-me
ao teu mundo de sonhos.
O mundo real tem sido
difícil de viver,
contigo é tudo mais fluido,
muito mais bonito.
Leva-me e não tem pressa
para me retornar.
Ouve-me, Morfeu meu...
Espero-te todas as noites
no desejo insano e profano
de nunca mais acordar!
Fazei-me tua esposa
a conduzir outros tantos
aos sonhos?
Queria eu poder viver entre imagens,
entre as núvens inconstantes do sonhar humano...
Morfeu! Leve-me apenas hoje,
por algumas horas para teu reino!
Deixe-me usufruir da tua hospitialidade?
Conduz-me aos teus belos aposentos
e que no acordar
sinta saudades de ti
no anseio da próxima noite
render-me aos teus braços de pena de ganso...
Fecha meus olhos,
cante para eu dormir...
Busque minha alma
que tanto anseia por ti!

sexta-feira, 7 de março de 2014

"Tente outra vez"



Ah! Esse medo insonsável de amar!
Essa angústia no peito,
esse receio de se doar...
A dor já foi tanta,
as lágrimas em abundância,
os pesares em demasia...
Como confiar mais uma vez?
E se der tudo errado outra vez?
Como juntar os caquinhos de mim
já tão esmigalhados,
espatifados de amor-dor?
Lá mais a frente eu vejo olhos tão bonitos...
Uns olhos que chamam e chamam e chamam...
Mas o que eu faço com essas cicatrizes antigas?
Feridas semi-abertas de antigas paixões?
O que eu faço com o medo de amar-dor?
E se eu me jogar
e der com a cara no chão de concreto e me quebrar?
De novo?
Eu não sei o que eu faço com os cacos
mal colados do meu coração...
Eu só queria um amor superbonder
pra arrumar tudo comigo.

E lá na frente tem uns olhos tão bonitos...
Um sorriso que me faz sorrir sempre que aparece...
Uns olhos que me chamam e me chamam e me chamam...
E eu tenho medo.
Mas eles me chamam...
Apesar do medo imenso...
Eu acho que estou indo.
(Só espero não quebrar a cara outra vez).