quarta-feira, 23 de abril de 2008

E o teu silêncio me incomoda.
A tua distância me perturba.
Essa sua cara de bunda
não me deixa sossegada,
porque eu te amo tanto
que até os teus problemas
eu quero resolver, só pra te ver feliz.

E num vacilo teu, um chêro
te dei.
Ai! Fazia tempo que o teu
aroma,
esse ar que circunda o teu corpo
que é só teu,
não fazia parte do meu ar
que me circunda e que é só meu
e que te ofereço pra sempre.

E esse chêro de homem,
e essa tua barba mal feita,
e essa tua cara emburrada,
e essa tua boca,
esses teus cabelos,
essa tua estatura
esse teu tudo que
devia ser o meu tudo.

E nunca mais
canta num videokê
uma música com o meu nome.
Por que, pode não ser nada,
mas eu sempre acharei que é tudo.

E se você tem medo,
problema seu, bocó.
Eu te amo com a alma
Eu te desejo com o corpo.
Te amo com o corpo
Te desejo com a alma
numa simbiose louca
onde eu já não sei mais onde eu começo,
se é na minha identidade ou na tua lembraça.

Me trata normal,
o silêncio desperta desejos e paixões.

Mas que menino idiota!
Tem uma mulher inteira,
de carne e osso,
mas carne que osso,
louca pra se entregar toda,
com casa (opa!), comida e roupa lavada!
E só se apropriar...
mas o que o medo não faz não é?

Mas quando perder de vez
esse bolo de carne
com o meu nome na identidade,
o meu abraço,
o meu afago, carinho, suspiro
dedicação farão falta...

Mas eu não quero fazer falta
pelo que não acontecerá,
quero ser lembrança viva na tua vida
por não estar longe,
por estar perto,
quero ser lembrança presente
e fotografia de tuas molduras!
Aquela foto do teu quarto,
com frases bregas,
momentos bregas,
sentimentos bregas,
amor brega!

Menino, idiota!
Se quisesse já estava contigo!
Casaria contigo!
Viveria de amor pra sempre!
Aff! Que medo de ser feliz, bocó!

E você nem experimenta do meu sabor,
do meu tempero.
Nem sabe o quanto o meu corpo
é prazeroso,
o quanto o meu carinho é
carinhoso
e o quanto de amor
eu disponho pra te dar.
É amor devoto,
daqueles que morre
e mata.
E você...
"pior que um poste.
O poste está aí
quando eu preciso.
E você não está
nem aí."


Aff! Aff! Aff!

2 comentários:

  1. Quando teremos poesia que fale de vocÊ feliz, nas nuvens, realizada, hein amiga?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir